segunda-feira, 3 de novembro de 2008

A Rosa meditativa


No seu canto sombreado
paira o seu doce perfume
e junto ao amor despedaçado
a tristeza do acaso nos une.

Uma criança meiga e doce,
um garoto perdido e sensível.
Nossos caminhos se cruzam como se fosse
um empurrão do mestre invisível.

Meu coração se esmaga em dor
por ver os seus olhos opacos,
sem o brilho herdado do amor
que lhe negaram os fracos

Mas diante de todo o mal
eu venho lhe dar esperança,
compenso a realidade brutal
que encobre essa pobre criança

Então, mestre invisível, onde está o amor?
Exija de mim o que for preciso
mas lhe peço, por favor,
traga-lhe de volta o sorriso.

Eu sei que ela sabe,
ela sabe que eu também sei

Eu sei que ela viu
e ela sabe que eu também via
que a vida nos uniu
numa mágica telepatia.

Logo retornarei,
e me domina a expectativa
de que lá reencontrarei
a meiga rosa meditativa.


Maurício Tovar Junior

7 comentários:

Anna disse...

Lindo! seja lá quem for, ela vai amar. ;*

gaioladoseus disse...

Eu escrevi para uma garotinha que eu conheci...ela tem 5 anos...tem um problema de desenvolvimento..tipo um retardamento só que é pouco...ela é tmo lindinha, e foi rejeitada pela mãe. Uma pena.

Fábio Coelho disse...

nossa
mandou bem hein tovar
rimas alternadas
a parte mais massa é essa
"Eu sei que ela viu,
e ela sabe que eu também via,
que a vida nos uniu
numa mágica telepatia"

Imagina se um dia ela lê isso? daqui 10 anos, sei la...
vai ser muito loco
até lá esperaremos
abraço tovarzito

poesia sempre, sempre, sempre...

gaioladoseus disse...

iuahea...valeu..mas nem fiz pra ela ler...só fiz pra ela....é pra ela mas vai ficar guardado é na MINHA memória..

Anna disse...

aahh, mas tem que mostar pra ela! ela vai adorar, tenho certeza!

The Bon's disse...

"Meu coração se esmaga na dor,
por ver os seus olhos opacos,
sem o brilho herdado do amor
que lhe negaram os fracos"

BEEELO!
parabens cara, belos versos, um quê de Cazuza...
continue escrevendo, vc é um amigo criativo que poucos tem!

aida disse...

que lindo que vc é...