sábado, 25 de dezembro de 2010

Flor


Meu amor, flor única do meu jardim
Se soubesses o quanto te amo,
e o quanto eu clamo
pra que esse amor nunca tenha fim.

Talvez um dia eu consiga redenção
por ter falhado na intenção
de dar-lhe a perfeita história,
de guardar apenas amor, alegria
e bons momentos na tua memória.

Mas conheço-te o bastante
pra afirmar que Posso fazê-la feliz,
que mesmo nos conflitos, no mesmo instante,
os seus olhos negam o que tua boca me diz

Sei que a luz do sol de conforta,
que o teu medo te assola, te confunde.
E pra mim só importa
que a tristeza não te circunde.

Te dou o meu coração,
e todo o meu amor.

E disso também preciso,
do teu carinho, teu encanto.
Porque o meu sol é o teu sorriso
e a minha tempestade é o teu pranto



Maurício Tovar Junior

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Quem és tú



Se abrir teus olhos agora,
olhar um pouco dentro de si,
verá que já morri
e morrerá também, para o que está fora.

Cuidado, cuidado,jovem
O mundo é um mar de rosas,
e é também uma grande mentira.

As coisas belas que nos comovem,
São os alvos de mentes enganosas,
que, embora insistam, ninguém nos tira.

É preciso muita calma, muita clareza
Pra ver que, na vida, não vale a pena
Se carregar de tristezas
e afliçoes pequenas.

Descubra-te!


É por isso que o acometo,
pois se fores um mero "existe"
Serás o pinóquio triste
que não passou de um graveto.







Maurício Tovar Junior

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Falando de Amor



Tentei em vão, falar a ti sobre o amor,
dizer que ele desfaz contendas,
que dá sentido ao trivial e não exige oferendas.

Que caminha só e coletivamente,
aniquilando orgulho e a vaidade,
porque é o conjugue mais próximo da verdade.

Na humana cena ,
mostrou-me todo o esplendor,
como aquele, manifestado no Cristo Redentor.
Tu não ouviste a minha "tagarelice".
Não tem importância,
O amor agora falará por mim.



Maurício Tovar

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Sentido


O amor que sinto por ti
é imensurável, é mágico.
O maior dos sentimentos que já vivi,
despertou vida em meu coração estático.

É passado, presente e futuro,
é abstrato e também concreto,
é a luz que surge no escuro
de nossas almas em contato direto.

O passado já não importa
sou espírito resiliente,
é bastante simples fechar as portas,
de um templo inexistente.

É preciso fluir e não se opor,
e na harmonia plena da união
florescem os campos do amor,
pra que a vida não seja em vão.

Deitar contigo e sentir teu peito,
Sentir teu cheiro no meu travesseiro,
tudo isso me invoca ao preceito
de um sentimento puro e verdadeiro.


Quando perco o chão,
quando já não sei com que causa bate,
o meu perdido coração.

O amor me invade
e depois do teu beijo ardido...

todo o resto começa fazer sentido.


Maurício Tovar Junior

sábado, 16 de outubro de 2010

Oráculo


Me lembro com extrema clareza
O que um sábio, certa vez me disse,
e na minha sábia tolice,
eu não dei ouvidos como devia.

Que uma singular atitude,
tem o aval de não condizer com as palavras,
que o ato e o fato podem estar ao contrário,
e apenas em solitude,
se aprende a ser solidário.

São fortes conselhos que a vida me dá,
que me ensinam a perceber,
questionar a minha própria certeza,
observar, e ver além do que há pra se olhar.

Aprendi a entender com inteligência,
que sem "EU"
o mundo nada é, e nada causará.
Que o grande inimigo mora no íntimo,
do Ego, do desejo...descontrole e negligência.

À passos largos e lentos,
Me desfaço aos poucos enquanto caminho.
No sopro leve de cada vento,
minha carne morre, e me sinto mais vivo...
de pouquinho em pouquinho.

Indicada a saída da bolha,
inicia-se o espetáculo.
Já está feita a escolha,
como havia dito, o Oráculo.





Maurício Tovar Jrjavascript:void(0)

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Amar-te


Fico louco quando você me arranha,
o teu olhar já me hipnotiza,
me enche de amor, desejo e manha.
Sobre o meu, o teu corpo desliza.

Teus cabelos soltos, como rebeldes em fuga,
inspirados pelo meu compasso
enquanto você me suga
pra dentro do teu espaço.

Vejo estrelas brilharem,
vejo o teu sorriso,
teus olhos grandes que abrem
os portões do paraíso.

Ah, saudade...
Vem no momento em que você parte,
e não há maior verdade...
Amo poder amar-te!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Um domingo qualquer


Como num domingo qualquer,
Perspectiva nenhuma, tarde vazia.
Incomodava imaginar, à revelia,
o seu olhar, o seu toque de mulher

Sua mão dada à minha
E o meu olhar no seu.
Será que o meu coração já cedeu?

Eu querendo consertar,
você, compreender.
Vejo tudo na clareza de um olhar.
O que vivemos, e o que há pra se viver.

Talvez a cruz seja pesada, talvez não.
Talvez seja você, a parte que me completa,
e eu, apenas uma alma inquieta
a conflitar com a situação.

Eu aqui, com as mãos manchadas de acasos,
com sonhos novos, outros roubados.
Planos e projetos girando,
Te levando, te querendo...amando.

O teu beijo no meu,
pulsares unidos,
e o teu nome se prendeu
no eco dos meus ouvidos.

EU..Eis a questão
Louco, romântico, burro?!
Não sei. Mas é o teu nome que eu sussurro
Sempre que dói, esse brando coração.

sábado, 24 de julho de 2010

Escolhas


Que valor tem ouro,
Se não tiveres amor na vida?
Por que ter uma vida sofrida,
lutar e morrer como um touro?

O amor.

O único e solitário sentido,
Que mantém o homem sóbrio, feliz
Solidário e unido.

Eu, sim, abro mão
de toda a farsa já vivida,
de toda a crença, toda a imaginação
de um mundo legal, de paz eterna na vida

Pra ver um pouco do real,
do que realmente pesa no coração,
da dor, da "causa mor", da ilusão
de ser feliz num mundo anormal.

Pseudo-bondade, pseudo verdade...

Pseudo-coração, sacrifício estúpido!
Completa enganação.

Cada galho que cai, cada folha
não cai sempre porque "Deus quer",
crer ,ou não, na existência da colher
é apenas uma questão de escolha.

Sei porque sinto,
a mesma frustração,
pois quando me pergunto, minto!
Já não mando mais no meu próprio coração!



Maurício Tovar Junior

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Sossego



Eu lembro que tinha
ao lado da minha alma
Uma grama verdinha,
um céu limpo e uma brisa calma

Eu lembro que eu via,
no cruzar das estrelas
mil laços de poesia,
que um dia sonhei em tê-las

Um lago lindo,
onde eu costumava me banhar,
um jardim florido
onde eu costumava me deitar

Eu lembro que tinha
um pedacinho de história,
em que à noite eu vinha
te resgatar na memória

Lembranças de contemplação
do meu infinito apego
por toda a satisfação,
pelo eterno sossego.

Eu vejo hoje, o que sempre via.
Beleza, longe dos valores vis,
e a sua companhia...
Tudo que eu sempre quis.



Maurício Tovar Junior

sábado, 3 de julho de 2010

Poesia


À poesia não se dá conceito,
não se determina como é feita,
é uma obra que sai do peito,
e não um passo-a-passo de receita

É beleza pura,
verbaliza sentimento,
uma paixão, uma loucura
uma tristeza ou sofrimento.

Poesia é arte,
é mais que ciência,
é o registro de uma parte
de uma mágica experiência

A poesia está em mim
e eu estou sempre nela
do começo ao fim,
não troco rima minha por bagatela

À poesia, toda a gratidão,
Pela arte e pelo amor,
e até ao dissabor,
por toda a inspiração.



Maurício Tovar Junior

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Foi Maior


E agora, o que posso fazer?
Sem o controle da situação,
sem o domínio desse coração,
que logo irá me entristecer?

Sem o direito
de interferir na tua vontade
Mas com o respeito
De uma estranha lealdade.

Eu te dei amor demais,
te levei à beira do mar
pra ver a lua do cais.
E nos meus braços, te vi chorar.

Chorar de emoção,
no nosso íntimo amor.
Toquei no fundo do seu coração,
e te tratei como uma flor.

Sem ter a tua mão
pra segurar com orgulho,
Bate no peito a ilusão
desse incerto mergulho.

Só me perdi na dúvida,
Se foi ou não real,
essa paixão tão lúcida,
Prazer maior...sentimental

Fui enganado pela minha lucidez,
só agora eu trasnponho.
Foi lindo! Era uma vez...
apenas um sonho.


Maurício Tovar Junior

terça-feira, 29 de junho de 2010

fora de controle


Num cruzar de olhares famintos,
um impulso forte insiste,
achando-me ainda,sucinto,
arrisquei o palpite

Contigo nos braços, rolo e deito,
sujo os seus lençóis de cama.
E no contato peito a peito,
o coração não se engana

A forjada tristeza se vai num estalo,
logo, o fogo no peito se espalha,
desenfreado embalo,
me põe sempre no fio na navalha

Quem dera eu tivesse controle,
pra manipular esse coração perdido
quem dera eu tivesse o controle,
pra juntar esse amor dividido.



Maurício Tovar Junior

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Você por perto


Passei muito tempo pensando em ti,
querendo te dizer a verdade,
mas por medo ou imaturidade,
não demonstrei o que senti.

Linda, meiga, sensível,
merecedora de todo o amor do mundo.
Mas para esse mero vagabundo,
esse amor não se fez plausível.

Ao meu lado, entre os poucos luares,
captei novas mensagens.
Aprendi contigo a lançar novos olhares
sobre as mesmas velhas paisagens.

Eu não quis te querer,
mas adoro sua companhia,
e ainda tenho algo a oferecer.
Em amizade, o prazer da nostalgia

É bom sentir o certo,
e criar pra nós, um novo universo.
E ,a Deus, tudo o que peço
é pra ter você por perto.



Maurício Tovar Junior

terça-feira, 18 de maio de 2010

Por entre os dedos



Da conversa social,
a mera opinião.
Do diferente alcance, potencial,
a discussão.

De um dia,
a experiência.

De uma vida,
a sobrevivência.

Da "ciência",
a inconsciência,
o medo, o plano sem consistência...

A ignorância!

Da verdade?
...
A distância!

Da mentira, os medos.
E a vida
escapando por entre os dedos.

Da verdadeira felicidade, dos verdadeiros sentimentos,
apenas arrependimentos.

E na morte sentenciada,
vê-se a falta que faz

a mente silenciada,
e o verdadeiro caminho da paz!



Maurício Tovar Junior

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Aceito você na minha vida




Você, que sempre foi o meu porto seguro
Que sempre foi uma fuga, uma saída
Era a única luz que se via brilhar do meu lado mais escuro,
Já tomou parte da minha vida

Esperança, assim, da tua cor
É o que me resta sentir
Pois agora, daquele amor,
Já não preciso mais fugir

Me serve, me guia, me estende uma mão amiga
Me faz rir, me tranqüiliza
E o teu sopro nublado é o que abriga
O suave embalo da brisa

Sempre vistosa, eternamente na moda
Findou a era do pranto, a vida bucólica
Conquistou a todos que estavam na roda,
Como o prazer de uma sobriedade alcoólica

Viva a paz, viva o amor
E que o filme que está em cartaz
não me traga mais nenhuma dor.


Maurício Tovar Junior

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Sinestesia





Palavras belas perambulando pelo corredor,
Cores vivas saltando pela janela,
São as palavras de meu amor,
em meu olhar sinestésico sobre ela.

Esse docinho que me enche a boca d'agua,
Que me fascina e me consome,
Com um leve toque de mágoa,
O gostinho do teu nome.

Eu posso ver-te sonhar
Nos meus sonhos, ao vivo e a cores
e devo ressaltar,
que é o mais belo dos amores,
dos poucos em que estive.

Uma confusão de sentidos,
Uma mistura de sentimentos,
realidade fantástica e exaustiva.

Vida que atende aos meus pedidos,
e nesses mágicos momentos,
vale a pena que aqui se viva.



Maurício Tovar Junior

domingo, 25 de abril de 2010

Nada Vale





De que vale a grama verde e molhada,
se ,descalço, eu nunca pisar?
De que vale admirar a minha amada,
se já sei que ela nunca será capaz de amar?

De que vale toda a beleza desse mundo, daquela mulher,
se na mentira dessa vida
não posso viver um segundo sequer?

Perdeu-se o juízo, esmagaram os valores
Se acomodaram no escuro
de uma gaiola de flores

E se de repente a minha vida passar?
De que valem as rosas, que a ela não pude dar?

De que valem os deuses, toda a divina criação?
Se tiveres o mundo aos seus pés
e nada no coração...

Tanto esforço, tanto trabalho
e no fim, ver no espelho a imagem de um espantalho.


Maurício Tovar Junior

quarta-feira, 24 de março de 2010

Amor no paraíso


Linda flor nativa
Sereia do canto doce
De olhar encantador, de voz ativa
O melhor dos amores que o vento me trouxe

Uma beleza incomum
Um olhar fixo e sedutor
Senti que éramos um
Naquela fria noite quente de amor

No céu, explodiam os fogos
Na cama, explodíamos nós
A união de diferentes povos
O encontro das águas da foz

É disso que eu preciso
E pensei em me mudar,
Caminhar de volta ao paraíso,
Tentando me encontrar

No fim alaranjado de mais uma tarde
Chegarei de surpresa,
Sem fazer nenhum alarde
Pra acabar com toda essa tristeza


Maurício Tovar Junior

É um eterno carnaval


É um eterno carnaval,
recheado de alegria,
Um orgasmo emocional
que é sentido todo dia

Uma energia que invade
Que une e contagia,
O ciclo de amizade
Ao prazer da bohemia


Entre os risos,cigarros e poesia
os Problemas se dissolvem
na minha taça já vazia,
Ocupações que nunca morrem, plena fantasia

É um eterno carnaval
recheado de alegria
mas é pura alegoria
Amanhã, tudo voltará ao normal

Todos bebendo novamente,
sorrindo, fazendo versos,
felizes inconsequentes
contemplando seus distintos universos