domingo, 25 de abril de 2010

Nada Vale





De que vale a grama verde e molhada,
se ,descalço, eu nunca pisar?
De que vale admirar a minha amada,
se já sei que ela nunca será capaz de amar?

De que vale toda a beleza desse mundo, daquela mulher,
se na mentira dessa vida
não posso viver um segundo sequer?

Perdeu-se o juízo, esmagaram os valores
Se acomodaram no escuro
de uma gaiola de flores

E se de repente a minha vida passar?
De que valem as rosas, que a ela não pude dar?

De que valem os deuses, toda a divina criação?
Se tiveres o mundo aos seus pés
e nada no coração...

Tanto esforço, tanto trabalho
e no fim, ver no espelho a imagem de um espantalho.


Maurício Tovar Junior

3 comentários:

kae disse...

E meu primo as pessoas não se dão conta realmente de como as coisas são importantes, os pequenos detalhes que fazem toda a diferença, se esquecem que a importancia não esta relacionada ao tamanho,e as pessoas são assim! se comportam pela arrogancia. julgando a importancia das coisas, e dessa maneira se tornando cegos diante das verdadeiras belezas que ha em viver. Vamos viver tudo que ha para viver de verdade! Vamos sentir o sabor, dar gargalhadas e absorver o que é belo, viver de forma pequena mais acompanhar a seguinte compreensão, que o universo apesar de seu tamanho guarda seus segredos em suas menores particulas! Humildade! Sejamos despertos para perceber e não caminhar pela arrogancia, aprender a ver as coisas com olhar de consciencia desperta, e assim vendo que a grama, o sol, a agua, e as pessoas que amamos, são sim os tesouros e muitas das vezes são chamados de pequenos detalhes sem que se perceba! Vamos aprender a não apenas ouvir a alma, mais ser ela e assim aprender a comtemplar o belo, exercico de atenção grandioso? Sim! mais o que mais pretendemos fazer em vida se não viver? e isso ai mauras!!

gaioladoseus disse...

o espantalho do mágico de oz caiu como uma luva!
=)

Alê disse...

Caiu como uma luva!