terça-feira, 18 de maio de 2010

Por entre os dedos



Da conversa social,
a mera opinião.
Do diferente alcance, potencial,
a discussão.

De um dia,
a experiência.

De uma vida,
a sobrevivência.

Da "ciência",
a inconsciência,
o medo, o plano sem consistência...

A ignorância!

Da verdade?
...
A distância!

Da mentira, os medos.
E a vida
escapando por entre os dedos.

Da verdadeira felicidade, dos verdadeiros sentimentos,
apenas arrependimentos.

E na morte sentenciada,
vê-se a falta que faz

a mente silenciada,
e o verdadeiro caminho da paz!



Maurício Tovar Junior

2 comentários:

simplesmente curando disse...

SHOW...adoro ler a sua poesia.
Beijos

Anônimo disse...

Você é mesmo um excelente poeta. Escreve muito bem. Só me responda uma coisa, você por acaso é filho do grande professor de genética Maurício Tovar de Goiânia? Por favor, envie-me a resposta para demimdemim@hotmail.com