sábado, 16 de outubro de 2010

Oráculo


Me lembro com extrema clareza
O que um sábio, certa vez me disse,
e na minha sábia tolice,
eu não dei ouvidos como devia.

Que uma singular atitude,
tem o aval de não condizer com as palavras,
que o ato e o fato podem estar ao contrário,
e apenas em solitude,
se aprende a ser solidário.

São fortes conselhos que a vida me dá,
que me ensinam a perceber,
questionar a minha própria certeza,
observar, e ver além do que há pra se olhar.

Aprendi a entender com inteligência,
que sem "EU"
o mundo nada é, e nada causará.
Que o grande inimigo mora no íntimo,
do Ego, do desejo...descontrole e negligência.

À passos largos e lentos,
Me desfaço aos poucos enquanto caminho.
No sopro leve de cada vento,
minha carne morre, e me sinto mais vivo...
de pouquinho em pouquinho.

Indicada a saída da bolha,
inicia-se o espetáculo.
Já está feita a escolha,
como havia dito, o Oráculo.





Maurício Tovar Jrjavascript:void(0)

3 comentários:

AÍDA TOVAR disse...

He! Mauricio, cada vez mais aflorada a sua sensibilidade !
Belo poema, muito lindo!!
Beijossss!!!!

BLOG DO PROFEX disse...

Maurício, vi que virginiano(como eu), seu blog é meticuloso. Mas vi que gosta de escrever, seus versos são são profundos. Parabéns pelo trabalho. Quando visitar meu blog, abaixo dos posts tem o Jornal da Poesia. Passa por ali. Vc vai encontrar todos os poetas de língua portuguesa e suas obras...
Deixo um grande abraço e o meu incentivo, cara!

Mariana Tovar disse...

TOVAR JR. Meu poeta transcendental...passei para te desejar muita luz!Que O GRANDE MESTRE seja sempre seu Farol.Parabéns! pelos lindos e profundos poemas. Te amo!!