sábado, 28 de setembro de 2013

Projeção

 
 
Ora, se seria eu tudo isso que presume...
Se tampouco sou ameno,
Pois bebeu fácil do meu veneno
e ainda ontem brotou em ti, semente de ciúme

Se fosse eu, a exatidão de teu preceito
Ainda que fosse eu, algo próximo de teu pensar pueril
Te vi acordar sobre meu despido peito
Com um sorrir sonolento que só você não viu

...Conceito vil

Ainda que eu fosse um caso desse
Por que teria então, uma joia tão rara
Se entregado ao interesse
de se pôr frente ao alvo em que minh'aura dispara?

És tú, o próprio feito que queres ver em meu rosto
O próprio fel que não queres sentir o gosto

Sou apenas consequência do "acaso"
Folha que bóia em teu mar tão raso.

Deixe fluir inerte o teu solstício
E não me faça tanto sacrifício

Não pragueje mais de três vezes pela rua
Nem me sufoque com tanto lençol
Tente apenas refletir...como a lua
E talvez eu possa ser tua fonte...teu sol.

Maurício Tovar Junior

Nenhum comentário: